segunda-feira, 3 de maio de 2010

Três erros: traição e castigo

Há fantasmas que mesmo tentando deixar prá trás, por mais q o tempo passe sempre voltam prá nos assombrar... erros cometidos no passo, ou melhor um erro (grave) cometido em um momento de medo, de insegurança a mais de um ano atrás, voltou agora como um vendaval sacudindo minhas raízes e abalando meus sonhos... porém me fazendo rever mta coisa, conhecer as pessoas e consolidar meus sentimentos...

Na época, a mais de um ano, o arrependimento já me machucava, a possibilidade de perder a coleira me deixava desnorteada, e por mais q eu precisasse contar a verdade pro meu dono, o medo de perdê-lo era maior... eu sabia q tinha o dever de contar... a maior lei de Dom Kallus é “sempre falar a verdade, não importa qual seja”, e isso incluía a omissão que prá ela é o mesmo q mentir.... isso me fez chorar uns 2 meses, mas o medo de perdê-lo prevaleceu e eu decidi me calar...

Ainda hj, acredito q se eu tivesse contado nakela época eu teria perdido a minha coleira, mas hj eu vejo q meu segundo grande erro foi não ter contado... meu terceiro erro foi confiar na pessoa errada... na época eu tinha a Nice como irmã, mas eu sabia q ela iria ficar brava comigo, q iria brigar comigo e talvez exigir q eu contasse a verdade pro Dono, então em vez de confiar na minha irmã e desabafar, acabei desabafando com uma sub (VENUS DO MESTRE SÁDICO) que na época parecia ser mto amiga... o terceiro erro estava cometido...

Contei tudo prá ela, chorei com ela todas as minhas inseguranças e tanto qto eu ela sabia da gravidade e da seriedade do q eu tinha feito, pedi segredo, e ela me prometeu q jamais contaria, me deu alguns conselhos e nunca mais falamos do assunto...

O tempo passou, a vida é imprevisível e as pessoas também... a vida nos leva por caminhos q não esperamos, assim como as pessoas fazem coisas q não temos como prever... essa minha “amiga” quase se tornou minha irmã... por razões pessoais não ficou, apesar de ter inclusive conhecido meu dono pessoalmente... e ter desejado mto ser dele... sempre teve meu apoio, e até meu incentivo pois eu realmente acreditava q era uma pessoa verdadeira, que merecia ser bem cuidada, e meu dono na época mantinha uma grande afeição por ela... entre várias tentativas de consolidar a relação, cheguei a considerá-la como minha irmã por uma semana, ou menos, não me lembro, mas por mais q ela se afeiçoasse ao meu dono, a idéia de ter irmãs de coleira não a agradava, e ela nos deixou...

Passaram-se alguns meses, e eu q já era membro da masmorra, com a mudança de endereço fui convidada a entrar pelo Mestre Sádico, q por sinal foi mto educado e gentil comigo, porém na mesma semana recebi um email de minha “quase ex-irmã” dizendo q eu não era bem vinda, eu a tinha excluído do meu Orkut e do meu MSN, pois achei q ela deu mtas esperanças e criou expectativas com meu dono, e isso me deixou chateada... nesse email ela argumentava q se eu a excluí, eu não deveria entrar na masmorra também...

Eu não levei o email mto a sério, me parecia engraçado, já q eu tinha sido convidada pelo Dono do site, e resolvi brincar com a situação, respondi dizendo q se eu não entrasse na masmorra quem me convidou deveria saber pq, e eu teria q explicar pq ela não agüentava me ver por lá... claro q eu não ia fazer isso, mas foi nisso q eu me surpreendi... (as vezes eu acho até q mereci) mas ao mesmo tempo, o q ela fez em seguida, foi cruel demais...

Ela respondeu com um email com cópia para o meu dono contando o Segredo q eu tinha confiado a ela a mais de um ano, em detalhes... qdo li akilo minha vista escureceu, meu chão sumiu... eu não conseguia pensar em mais nada...



DK manteve a calma, eu não sabia o q dizer, liguei prá ele desesperada, chorando, querendo ir pro rio no dia seguinte, mesmo estando cheia de compromissos no trabalho, minha vontade era largar tudo e ir encontrá-lo...

Eu não sabia qual seria a reação dele, poderia me tirar a coleira, na melhor das hipóteses me castigaria severamente... mas no telefone continuava com a mesma calma, com o mesmo tom de voz, e eu não sabia se isso era motivo prá me acalmar ou me desesperar mais... nos dias q se seguiram tive o apoio incondicional de três grandes amigas, minha irmã Stela a quem eu contei toda verdade, e me entendeu... minha madrinha, Jade de Dom Kali e minha eterna irmã Nice, que me perdoou por não ter confiado meu segredo a ela, mesmo reprovando o q eu fiz elas me entenderam, me ouviram e me apoiaram... por causa da tensão e da tristeza, tive alguns problemas de saúde... ou melhor todos os probleminhas de saúde que eu tinha se manifestaram e pioraram... Dom Kallus sempre atento ao q acontecia, antes de mais nada me disse q levaria em conta tudo que se passou neste tempo, que por várias vezes provei minha obediência e minha fidelidade e q por isso não tiraria a minha coleira, apesar de deixar claro que iria me castigar, afinal eu havia faltado com a verdade...

Eu mesma não me perdoava, e realmente achava q devia ser castigada... então ficou combinado entre nós que a primeira coisa que faríamos no encontro seguinte seria ter uma conversa séria e definitiva sobre o assunto, que em seguida eu seria castigada, e depois disso tudo seria esquecido...

Na verdade o castigo já havia começado, eu sentia a dor do arrependimento e a vergonha pelo que havia feito, somada ao receio de receber um castigo ao vivo, coisa inédita prá mim... geralmente DK aplicava os castigos em sessões virtuais... dizia que ficávamos mto pouco tempo juntos prá perder tempo com castigos... então nas sessões reais sempre havia spank, torturas de todos os modos, mas sempre por prazer... além do mais ele sempre diz q castiga com o q a gente mais teme, então torturas e spank não seriam exatamente castigos, pois ele mesmo nos ensinou a não temer e gostar prá agradá-lo...

Eu ficava imaginando como seria constrangedor o momento do castigo... se eu teria coragem de olhar prá ele, e o q ele me diria nesse momento... esse sofrimento prévio foi me martirizando e tornando essa espera mto angustiante, afinal ainda faltava mais de 20 dias prá encontrá-lo...

DK decidiu como iria me castigar... me encomendou um consolo maior dos que eu já tinha, com no mínimo 5 cm de largura por 17cm de cumprimento... nossa, só de pensar eu já tremia, pois podia prever como seria usado... eu não tinha coragem de argumentar com o Dono sobre o castigo, afinal na minha condição, eu só podia aceitar tudo q ele quisesse e ainda agradecer a chance de continuar com a minha coleira... mas ficava apavorada imaginando como ia ser, afinal só tinha perdido minha virgindade anal a 2 meses... percebendo meu medo DK fez questão de repetir várias vezes q jamais iria me machucar, brincava ainda, dizendo “vai doer, mas não vou te machucar”, e me perguntava da minha confiança cega nele, e realmente, essa assim q eu confiava, e isso me confortava um pouco...

Bom nas próximas postagens contarei como foi essa nossa conversa e como aconteceu o castigo... preciso agora apenas deixar três coisas claras: primeiro q eu acabei crescendo mto com a situação, reconhecer um erro grave me ajudou a exercitar minha humildade, reconhecer meus defeitos e minhas limitações e isso me tornou mais forte... Segundo, pude perceber q minha relação com Dom Kallus está ainda mais sólida, é fácil aceitar e até amar alguém q sempre foi boazinha, perfeitinha e obediente, mas amar a alguém q errou como eu errei é para poucos, e ver nos lábios dele q ainda me amava fez toda dor finalmente passar, por ultimo quero agradecer akela ex amiga, quase ex irmã, q em sua traição pode me fazer aprender com a vida, depois de tudo isso pude me reconstruir, me reencontrar, me conhecer, e conhecer meu dono, como ele mesmo diz, prá nós está morta e enterrada, que seja feliz nas escolhas que fizer, pois nós estamos mto felizes, mesmo que vc não queira, continuamos juntos, mais juntos q nunca.

4 comentários:

  1. da minha parte,e após ler o que li...
    tens a minha amizade e carinho(apesar de não saber o que sucedeu mesmo,mas que importa isso?)errar é humano,todos erramos,mas nem todos assumimos nossos erros. e isso tu o fizes-te(um pouco mais tarde,mas...fizes-te).

    um beijo doce
    {umbra}

    ResponderExcluir
  2. Eliz,
    Encontrei seu blog a poucos dias e tenho lido a historia de vocês. Fico feliz que vocês tenham superado isso juntos.
    Gostaria de saber se posso colocar o link do seu blog no meu, pois gostaria de ter mais links lá que representassem o BDSM no Brasil, mas que contassem histórias reais, de pessoas reais, como vocês.
    beijos,
    T.

    ResponderExcluir
  3. Comovente teu desabafo, deixa bem claro que falar a verdade é sempre a melhor opçao muito embora as vezes é dificil , temos q ter esse principio sempre presente na nossa opção de vida ...um abraço desta amiga..{mary}_D.M.

    ResponderExcluir